O Rei dos Beatniks em retiro

Jack Kerouac

Graças a um recente post de uma amiga no Facebook, fiquei sabendo do Festival Indie, que começou ontem (20 de setembro) e vai até o dia 3 de outubro no CineSesc na capital paulista.

Trata-se de uma mostra de cinema independente, com entrada gratuita, que chega a 19ª edição com a proposta de exibir filmes que infelizmente não devem passar no circuito comercial. Neste ano, a programação traz 50 títulos, dos quais dois chamaram a atenção deste reles escriba.

O primeiro é Big Sur. Inspirado no romance homônimo de Jack Kerouac, o filme é ambientado no início dos anos 1960 e retrata o período em que o “Rei dos Beatniks” se isolou do mundo em Big Sur (região costeira da Califórnia) na cabana de Lawrence Ferlinghetti (dono da City Lights Books, editora que publicou obras de Kerouac e de outros beatniks).

Alçado ao status de pop star devido ao sucesso de On The Road, Kerouac não aguentou a pressão e as demandas da fama e fugiu dos holofotes. Em crise existencial, a ponto de duvidar do seu próprio talento literário, ele passou a entornar quantidades homéricas de álcool. Quem interpreta Kerouac é Jean-Marc Barr, ator que já trabalhou em vários filmes de Lars von Trier (Ondas do Destino, Dançando No Escuro, Dogville, Manderlay e O Grande Chefe).

Jean-Marc Barr Big Sur

Para uma produção independente, Big Sur até que tem um elenco cheio de estrelas, com destaque para Josh Lucas (que encarna Neal Cassidy, outro ícone da geração beatnik), Kate Bosworth (no papel de Billie, amante de Cassidy), Anthony Edwards (conhecido do público brasileiro como o Dr. Mark Greene da série E.R. e que no filme interpreta Ferlinghetti) e Henry Thomas (o eterno Elliot de E.T.). A trilha sonora de Big Sur foi composta pela banda The National, que lançou recentemente o elogiado álbum Trouble Will Find Me.

Big Sur vai ser exibido agora na terça-feira (24/09) às 21h30.

 

O outro filme é Petrel Hotel Blue (Kaien Hoteru Burû). Trata-se de uma das últimas películas do cineasta Koji Wakamatsu. Um dos grandes nomes do cinema japonês, ele morreu em Tóquio em outubro do ano passado atropelado por um táxi.

Wakamatsu iniciou sua carreira com produções de pinku eiga (“filmes cor-de-rosa”, gênero caracterizado por temática erótica). Em 2008, o festival Indie o homenageou com uma mostra de seis títulos seus dessa fase. Ele também atuou como produtor do polêmico O Império dos Sentidos, de Nagisa Oshima. A trilha sonora de Petrel Hotel Blue é assinada por Jim O’Rourke, músico e produtor que já trabalhou e tocou com bandas como Sonic Youth e Wilco.

Petrel Hotel Blue vai ser exibido no próximo sábado (28/09) às 18h.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Cinema, Literatura

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s