Leia rock!

Enquanto certos medalhões da MPB brigam pela censura prévia a biografias que por ventura deponham contra eles, chegam às prateleiras do país três livros que escancaram a vida e a carreira de artistas lendários do rock. 

Um deles é Crazy Diamond – Syd Barrett e o surgimento do Pink Floyd (Crazy Diamond — Syd Barrett & The Dawn Of Pink Floyd), lançamento da editora Sonora (criada pelo jornalista e pesquisador Marcelo Froes, que também comanda o selo Discobertas).

Escrita por Mike Watkinson e Pete Anderson, a biografia é considerada uma das mais abrangentes sobre Syd BarrettImagem

Barrett foi o mentor da fase psicodélica que marcou o início do Pink Floyd. É dele, por exemplo, o primeiro single do grupo, Arnold Layne, cuja letra fala do tal “Arnold”, que tinha o hábito de roubar roupas íntimas femininas para vestí-las. Por conta da temática pitoresca, a música foi banida da programação radiofônica da BBC. O grupo chegou a filmar dois clipes diferentes de Arnold Layne, sendo que o primeiro (vide abaixo) é o mais icônico.

O primeiro disco do Pink Floyd, The Piper At The Gates Of Dawn, foi praticamente todo composto por Barrett, que trouxe um repertório de conto de fadas lisérgico, povoado por astronautas, gatos, gnomos e espantalhos.

Em 1968, já sofrendo de problemas mentais (agravados pelo uso de drogas como LSD), ele foi afastado pelo grupo e seguiu em cambaleante carreira solo, tendo gravado os pungentes álbuns The Madcap Laughs e Barrett. Aos poucos, Barrett sumiu de cena, até que em 1975 foi ao estúdio onde o Pink Floyd gravava o disco Wish You Were Here. Gordo e com a cabeça raspada, Barrett quase não foi reconhecido pelos ex-companheiros, que o homenagearam com a música Shine On You Crazy Diamond.

A edição da biografia lançada no país é a que foi atualizada em 2006, ano da morte de Barrett, e traz fotos, discografia e prefácio de Julian Cope (figura eminente do pós-punk britânico que liderou a banda The Teardrop Explodes, da qual fez parte Ian McCulloch).

Outro ícone do rock que “renasce” nas livrarias do país é Jim Morrison. Ele é o protagonista de Ninguém Sai Vivo Daqui (No One Here Gets Out Alive), obra que finalmente é lançada em português pela editora Novo Século em parceria com o site Omelete

Capa Ninguém Sai Daqui Vivo

Publicado em 1980, o livro contribuiu para fixar a imagem de poeta-xamã de Morrison e com o tempo ganhou status de biografia definitiva, tanto que serviu de fonte para o filme The Doors, de 1991, dirigido por Oliver Stone e estrelado por Val Kilmer.

Ninguém Sai Vivo Daqui revela episódios emblemáticos da vida de Morrison (como o dia em que perambulava pela praia de Venice, em Los Angeles, e ao topar com Ray Manzarek lhe cantarolou a música Moonlight Drivee os bastidores dos Doors, indo da ascensão ao estrelato, a pressão e o stress do sucesso, as polêmicas, os porres e os pitis de Morrison até sua enigmática morte em 1971, em Paris, onde foi enterrado no famoso cemitério Père-Lachaise

A biografia foi escrita por Danny Sugerman e Jerry Hopkins. Falecido em 2005, Sugerman tinha credenciais e conhecimento para a tarefa. Ele conviveu e trabalhou com os Doors, inicialmente ajudando a responder cartas enviadas por fãs, e depois se tornou o empresário do grupo. O título da biografia é um verso da letra de Five To One, música que fecha o disco Waiting For The Sun.

Se há um grupo na história do rock cuja carreira foi e continua a ser devassada exaustivamente são os Beatles. O quarteto de Liverpool é o tema de Here There And Everywhere – Minha Vida Gravando Os Beatles (Here There And Everywhere – My Life Recording The Music Of The Beatles), outro lançamento da editora Novo Século também em parceria com o site Omelete.

Here There And Everywhere Minha Vida Gravando Os Beatles

No livro, Geoff Emerick relata sua experiência de ter trabalhado como assistente e engenheiro de som ao lado de John, Paul, George e Ringo nos discos Revolver, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, The Beatles (o chamado Álbum Branco) e Abbey Road.

Ao longo de 480 páginas, Emerick ainda conta como era o processo de criação do grupo em estúdio, dá detalhes das gravações de cada música e fala sobre a personalidade, o convívio entre os integrantes e a relação de parceria-competição entre Lennon e McCartney. Here There And Everywhere é uma das músicas de Revolver, disco que marca a primeira grande guinada experimental-psicodélica dos Beatles. O livro traz ainda posfácio assinado por Elvis Costello.

Deixe um comentário

Arquivado em Música, Notícias Pop

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s