As mulheres de 2013

Ao invés de listar os melhores discos do ano, este humilde escriba preferiu fazer uma retrospectiva feminina.

Sim, porque em 2013 várias mulheres se destacaram na cena pop internacional. O ano foi marcado por comebacks, estreias e estrelas em ascensão.

Que venham mais mulheres em 2014!

Mazzy Star – California

Um dos retornos mais festejados pelos fãs de indie rock foi o do Mazzy Star, comandado por Hope Sandoval e David Roback. Depois de um sumiço de 17 anos, o duo voltou em boa e intacta forma, como atesta o primeiro single do álbum Season Of Your Day.

Anna Calvi – Sing To Me

Na categoria hype do ano, uma das artistas mais festejadas foi Anna Calvi. A britânica já ganhou adjetivos superlativos da imprensa musical estrangeira, que a comparou com Nick Cave, PJ Harvey e Siouxsie Sioux. Por sua vez, Brian Eno chegou a dizer que ela é melhor a coisa a surgir desde Patti Smith. Calma, menos…De fato, a moça tem um trabalho bastante singular, como mostrou em seu segundo disco, One Breath, recheado de músicas com um quê cinematográfico. O começo de Sing To Me, por exemplo, evoca aqueles velhos western spaghettis de Sergio Leone.

The Julie Ruin – Ha Ha Ha

Outra volta bem-vinda foi a de Kathleen Hanna. À frente do The Julie Ruin, a moçoila continua berrando a plenos pulmões seu chicletudo punk pop com pitadas eletrônicas.

Laura Marling – Devil’s Resting Place

Outra britânica que se manteve em evidência foi Laura Marling com seu quarto álbum Once I Was An Eagle. Inegavelmente, um dos destaques é a hipnótica Devil’s Resting Place.

Throwing Muses – Sunray Venus

Para alegria da galera indie, o ano teve também o retorno do Throwing Muses. Com a guitarrista Kristin Hersh e o baterista David Narcizo à frente, o grupo voltou à ação com o álbum Purgatory/Paradise.

Caitlin Rose – Old Numbers

Apesar de já ter dois discos nas costas, a americana Caitlin Rose chamou a atenção mesmo neste ano com o álbum The Stand-In, elogiado por sua mistura de pop, folk e country.

Laura Mvula – Green Garden

A britânica Laura Mvula foi uma das novidades do ano com seu primeiro álbum Sing To The Moon, praticando um bem articulado mix de pop, jazz, r&b e gospel.

Neko Case – Where Did I Leave That Fire

Com seis álbuns na carreira, a cantora-compositora americana Neko Case já é uma veterana da cena de alt-country. Neste ano ela lançou o disco de título quilométrico The Worse Things Get, the Harder I Fight, the Harder I Fight, the More I Love You, em que traz um toque mais experimental.

Valerie June – You Can’t Be Told

Outra boa surpresa do ano foi Valerie June. A moça com cabelo de Medusa estreou em grande estilo com o álbum Pushin’ Against A Stone, marcado pela fusão de blues, soul, folk e ritmos típicos do Sul dos EUA. Um dos produtores do disco foi o guitarrista Dan Auerbach (do Black Keys).

Julia Holter – Horns Surrounding Me

Já na categoria pop com toques eletrônicos-experimentais, um dos destaques foi a americana Julia Holter com seu terceiro álbum Loud City Song, que trouxe a emblemática Horns Surrounding Me.

 

 

Deixe um comentário

Arquivado em Listas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s